Limite.

adeus

Até hoje não conheci uma pessoa que se permitiu chegar ao seu limite.
Conheço pessoas, que tentam se permitir ser feliz, através de mentiras. Mentiras como “estou bem” ou “vai ficar tudo bem”.

Só que, chega um dia, que todos acordamos e vemos, que não está tudo bem. Nunca esteve tudo bem. Mas o fato é, como deixar de se enganar, se deixar cair da realidade, se daquele jeito estava melhor?
Acho que a maioria das vezes é por medo de ficar sozinha, ou medo de alguém perceber que ela não esta bem, e sentir dó, ou pena.

Esse é o maior medo da humanidade: A solidão.

Mas nada nessa vida, acontece por acaso. Tudo tem seu motivo perfeito por estar acontecendo. Aceite isso.

Algumas vezes, são apenas consequências de atos feitos sem pensar.

Ou de reações inesperadas.

Ou tristezas guardadas.

Choros abafados.

Os seres humanos, são os seres mais idiotas e frágeis ao mesmo tempo. Idiota por agir sem pensar, e frágil por não agir, por medo de magoar, ou medo de não ser entendido, ou como na maioria das vezes, medo de errar.

Por isso, digo e repito: Faça mais. Pense mais. Viva mais. Não se permita chegar ao limite. Não se engane.

A vida é uma só. E, se está acontecendo isso, acredite meu amigo, é porque você consegue ser vencedor do final dessa batalha.

Danúbia Vasconcelos

Desculpas!

dsclp

E ae galera, tudo certo com vocês?

Esse post é especialmente para pedir desculpa para vocês, devido ao meu desaparecimento do blog!

Logo menos teremos muitas novidades para vocês!

Um beijo, Danúbia.

Eu?

 

Ela é boba, ri de tudo e faz palhaçada.

Ela sabe ser seria fria e grossa.

Ela é romântica, sentimental e quando ama, é pra valer.

Ela se apaixona por sorrisos, gosta de abraços apertados e andar de mão dadas.

Ela gosta de se sentir importante e mais ainda quando é mimada.

Ela ama fazer carinho, mexer no cabelo dos outros.

Ela é uma garota difícil de lidar, esta cada hora de um jeito e é péssima em demonstrar o que sente.

Ela é um doce de menina, mais quando machucada, fica amarga.

Danúbia.

Maldita vida sem rumo!

Mesmo que eu tome uma decisão, neste momento, não vai durar muito. Seria como olhar no espelho e recitar os versos de qualquer poeminha que tenha escrito e, no fim, rir, como um vilão ou cientista louco, para mostrar aos meus próprios olhos como tudo na minha vida é um enorme engano meio cômico; como uma explosão, reduzindo asteróides à poeira cósmica. A minha vida é um engano… e uma piada.
Sou o asteróide. E fui reduzido à poeira cósmica. Sendo que meu café nem está suficientemente quente. Sequer tem café, para que fique registrada a verdade.

Os segundos passam. A cada conjunto de dez deles, olho para trás e não sinto o menor arrependimento, ou apego, ou saudade. Ah, deixe que eu seja um pouco sincero: há vezes em que sinto saudades de algumas pequenas coisas; noutras, sinto nojo, por ser tão inútil; e, na maior parte do tempo, sinto o delicioso vazio, com sua trilha sonora repleta de ecos, quando pergunto por onde fui.

Só uma observação: tomando nota de tudo isso, só me sinto uma garotinha, choramingando por ter perdido o namorado… mas não sou uma garotinha, tampouco almejo o sofrimento, seja de que parte venha. Simplesmente, sinto como se eu fosse mais um conjunto de elementos químicos, reações e, ao mesmo tempo, nada disso; é a Morte que está sempre à espreita, penso; porque, uma hora, ou outra, ela virá, então, sendo assim, é bom que esteja logo aqui.

O fato de poder ser raptado pela Morte a qualquer momento é o mínimo do pavor que se pode sentir enquanto se está vivendo. É como nos jogos:game over e… contagem regressiva de cinco pares de segundo!

Não conheço o peso que dizem ter o estado morto. Posso pensar que o porquê está na forma em que já estou totalmente morto; ser um peso morto, pedra para segurar documentos jurídicos, que jamais saírão do lugar. Bem, me permita dizer que, agora, acho, consegui as palavras perfeitas para descrever o estado em que me encontro. E, antes que alguém sussurre, ou pergunte, ou mesmo pense, digo: não me agrada nada tudo isso.

A Morte é fria e, sendo assim, seu sopro e andar, também. Quando pronuncia meu nome, é de forma lenta, permitindo que neve saia de sua boca ossuda; e, quando me viro mais uma vez, tem a minha própria aparência; mas, noutras vezes, se parece com meu pai. Arriscaria dizer que ele mesmo faz o trabalho, se não soubesse sempre onde ele está.

Acordei cedo, hoje, e percebi que, durante a madrugada, me levantei somente uma vez, voltando a dormir rapidamente. Acordei às sete e cinquenta, continuei na cama. Levanto somente às oito horas, somadas à mais alguns minutos dos quais não consigo me lembrar. Também não me lembro de ter sonhado algo, ou de querer ter pego algum dos meus livros. Mas me lembro como é sentir raiva de alguém, amar alguém, ou querer matar alguém, do mesmo jeito que me lembro de como é querer proteger alguém. E, além disso, me lembro de alguns rostos que me perseguem, não importa aonde eu vá. Quero me livrar deles… sozinho.

Pensei em usar por favor, mas é demasiado gentil. Com essas pessoas, o único efeito vem a partir do peso que pode ser causado em suas vidas e, também, não importa como esse peso seja causado; é assim que se consegue o que se quer, aqui.

Não quero que pensem sobre eu estar ensinando como ser um total pilantra, neste mundo: pelo contrário: estou relatando o modo de vida que levamos. Mas, como eu disse anteriormente, estou em estado perpétuo de morte, por concessão da própria Morte, que me acompanha, junto dos rostos, por todos os lugares.

Antes que eu precise me ausentar, gostaria de dizer que, às vezes, sinto como se não pudesse estar preenchido de mais felicidade. Ou mais gosto pelas coisas que fiz. A doce ilusão do auto-aperfeiçoamento, de ser autosuficiente. É tudo mentira. É tudo um grande equivoco. Minha vida é um engano, e sequer tenho café para brindar junto da Morte.

Autora: Ana Gradim, dona do tumblr MAY THE FORCE BE WITH YOU  .

Músicas para se ouvir numa quarta – feira

Quarta-feria, geralmente é um tédio certo (pra mim é), e o que fazer quando o tédio fala mais alto? Ouça música!

Trouxe para vocês, as 08 músicas para hoje.

Call your girlfriend – Robyn (A Gente Nós – COVER)

Remember December – Demi Lovato

The One That Got Away – Katy Perry

Carly Rae Jepsen – Call Me Maybe

Sem Radar – LS Jack

Pe.H Moraes – Exagerado (Cazuza/Versão)

Hoobastank – The Reason

Everything – Lifehouse

O que acharam?

Danúbia.

Ah! O amor..

Sabe o que é mais estranho? É ficar imaginando um futuro, que jamais vai existir. E, na maioria das vezes, me pego pensando em nós dois, mas, nunca houve nós, e não posso imaginar se algum dia possa haver.
É doloroso, mais são dois mundos completamente diferentes, pessoas diferentes, pensamento diferente.
Queria conseguir te falar tudo que sinto, tudo que quero, enfim, tudo.

Sabe o que me conforta, no meio disso tudo? Ver que você esta bem. Toda vez que passo por ti, você esta sorrindo, e devido há isso, meu sorriso surge na hora, e é como se todos os problemas do mundo tivesse desaparecido.

O mais estranho disso, é como uma pessoa pode cultivar tais sentimentos por outra, sem nunca ter ocorrido nenhuma demostração de carinho da outra parte. Mas, fazer o que? Amor é amor, simplesmente isso.

Danúbia.